"O MAIOR ACERVO DA INTERNET DE FICHAS TÉCNICAS DE CAMPEONATOS NO BRASIL"
Veja o indíce dos Campeonatos clicando em http://indiceblogdomarcao.blogspot.com/
atualizado até dezembro de 2010

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Os Uruguaios pela primeira vez no Brasil

OS URUGUAIOS PELA PRIMEIRA VEZ NO BRASIL



No ano de 1911 o Esporte Clube Pelotas promoveu a vinda de uma Seleção do Uruguai pela primeira vez ao Brasil.

A seleção uruguaia era composta de jogadores do Dublin, Bristol e Wanderers. Ainda assim, formavam os uruguaios um conjunto admirável, jamais visto por aqui.

Chegaram à Pelotas no sábado à noite, 8 de julho de 1911, e hospedaram-se no Hotel Aliança.

No dia seguinte, 9 de julho, aconteceu o primeiro jogo, contra o S. C. Pelotas, no estádio da Avenida Bento Gonçalves. O público foi calculado em mais de quatro mil pessoas (a população de Pelotas em 1911 era de 37 mil habitantes).

O jogo foi facilmente dominado pelos uruguaios, que no primeiro tempo já venciam por 7 x 0, gols de Carlos Bastos (3), Campisteguy (2) e José Brachi (2). No segundo tempo, marcaram mais três, por intermédio de Marquez Castro (2) e Raul Bastos, fechando a goleada em 10 x 0.

Os times formaram assim: Pelotas – Vicente Russomano, Carlos Dias e Roberto Stephan; João Brum, Edmaro Mendonça e Taciano Siqueira; Reynaldo De Boer, Hugo Vinhas, Octaciano Oliveira, Argemiro Xavier e Francisco Vares. Seleção do Uruguai – Oscar Caserza, Frederico Crocker e Juan Carlos Bertone; Jorge Pacheco, José M. Duran e Carlos Marquez Castro; José Brachi,Raul Bastos, Carlos Bastos, E. Novoa e Juan Carlos Campisteguy.

No dia 14 de julho realizou-se a segunda apresentação dos uruguaios em gramados brasileiros, enfrentando um combinado gaúcho, formado de jogadores do Pelotas, Grêmio, de Porto Alegre, e S. C. Rio Grande.

Os uruguaios voltaram a vencer mais uma vez de goleada: 6 x 0. Os gols foram marcados pelos irmãos Bastos, Marquez e Campisteguy. O combinado gaúcho atuou com Haroldo (Pelotas), Stephan (Pelotas) e Schubach (Grêmio); Whigg (Rio Grande), W. R. Ashlin (Rio Grande) e Mohrdieck (Grêmio); Vares (Pelotas), Octaciano (Pelotas), Cox (Grêmio), Booth (Grêmio) e Harry Ashlin (Rio Grande).

O jogo em que a seleção uruguaia encontrou mais dificuldades foi contra o Grêmio, campeão de Porto Alegre, no dia 16 de julho. O primeiro tempo terminou sem abertura de contagem. Mas os uruguaios chegaram ao triunfo na fase final por 3 x 0, com gols de Carlos Bastos, Campisteguy e Marquez. O Grêmio atuou com Arthur Teichmann, Carlos Mostardeiro e Bruno Schubach; Gustavo Mohrdieck, Augusto M. Sisson e Henrique Sommer; Alfredo Mostardeiro, Carlos P. Bento, Edwin Cox, Moreira e Edgar Booth.

O quarto jogo dos uruguaios aconteceu no dia 18 de julho, em Rio Grande, contra o S. C. Rio Grande, também vencendo facilmente por 13 x 1. Os uruguaios já estavam vencendo no primeiro tempo por 9 x 0, e o meia-esquerda Clóvis Vaughan, autor do gol de honra dos riograndinos, foi delirantemente cumprimentado pelo público. Foi o único gol sofrido pelos uruguaios em gramados gaúchos.

Os uruguaios alteraram um pouco a equipe, fazendo entrar os suplentes José Suazan, no lugar de Carlos Marquez Castro e Lúcio Gorla e Domingos Rebagliatti nos postos de Carlos Bastos e Juan Carlos Campisteguy. O time do S. C. Rio Grande formou com G. J. Henebry, Louis Caby e José Campos; Eduardo Daniel, W. R. Ashlin e Mário Silva; Harry Ashlin, J. A. Read, Cedric Wigg, Clóvis Vaughan e Cecil Wigg. Mais de três mil pessoas assistiram o jogo e os uruguaios foram também muito homenageados em Rio Grande.

No dia 20 de julho, os uruguaios deixaram Pelotas pelo primeiro trem da manhã, com destino a Santos.



Sabendo da passagem dos distintos esportistas uruguaios pelo Estado de São Paulo, de passagem para o seu país, a diretoria do S. C. Americano estabeleceu negociações com eles, as quais, pouco mais tarde, tiveram completo êxito. Assim, em 5 de agosto, embarcou em Montevidéu, a bordo do vapor “Astúrias”, com destino a São Paulo, uma equipe composta de jogadores pertencentes a vários clubes daquela capital, que chegou a Santos no dia 8 do mesmo mês. Foram recebidos por comissões da Liga Paulista e do S. C. Americano.

Nesse mesmo dia partiram para a capital paulista, onde chegaram às 16:30 horas, sendo levados para o Hotel d’Oeste, onde ficaram hospedados. Esses jogadores eram os seguintes: Fernandez della Sierra, Bariola, Pacheco, Angel-Allende, Francisco Crocker, E. Crocker, A. Bertone, Juan Bertone, Antônio Marques, Carlos “Carlitos”. Marques, Rebagliate, Zumaran I, Zumaran II e Altamirano.

O primeiro encontro realizou-se no dia 9, atuando como árbitro Octavio Bicudo. Os uruguaios empataram com o C. A. Paulistano, em 3 x 3.

O primeiro tempo terminou empatado em 1 x 1, com A. Marques marcando primeiro para os uruguaios e Dudu empatando para os brasileiros.

No segundo tempo, Facchini marcou duas vezes para o Paulistano, colocando os brasileiros na frente do placar: 3 x 1. Os uruguaios trataram de reagir. C. Zumaran marcou o segundo gol uruguaio e A. Marques, cobrando pênalti, decretou o empate final em 3 x 3.

O Paulistano jogou com Brito, Leite e Mário Prado; Célio, Aquino e Gullo; Minguito, Raul, Facchini, Mariano e Dudu.

Os uruguaios com Angel-Allende, F. Crocker e E. Crocker; A. Bertone, Juan Bertone e Carlitos Marques; Rebagliate, Zumaran I, Zumaran II, Altamirano e Antônio Marques.

No dia 12, no Velódromo, os uruguaios mediram forças com o São Paulo Athletic Club. Atuou como árbitro Décio Viccari, do S. C. Americano.

As equipes estavam assim compostas: S. P. A. C. - Deighton, Hammond e Astbury; Boyes, Smith e Bradshaw; Whitworth, Colston, Hamilton, Robert e Banks. Seleção do Uruguai – Angel-Allende, F. Crocker e E. Crocker; A. Bertone, Juan Bertone e Carlos Marques; Rebagliate, Zumaran I, Zumaran II, Altamirano e Antônio Marques.

O jogo foi disputado debaixo de chuva torrencial. O SPAC marcou dois gols através de Colston, um em cada tempo de jogo. Carlitos Marques e Antônio Marques empataram o jogo cobrando dois pênaltis. Resultado final: 2 x 2.

O jogo seguinte foi realizado em 13 de agosto e foi um marco na história do futebol brasileiro. O S. C. Americano, anfitrião da visita, bateu os uruguaios por 3 x 0, a primeira vitória de um time brasileiro sobre um estrangeiro. Nas 16 partidas realizadas até então, tínhamos perdido 13 e empatado 3.

O quadro vencedor atuou assim: Hugo de Moraes, Itaborahy e Menezes; Otávio Campos, Arrizabalaga e Oscar Bastos; H. Ruffin, Alencar, Décio Viccari, Octávio Bicudo e José Pedro. Os uruguaios tiveram a mesma formação dos jogos anteriores.

Os gols foram marcados por Décio Viccari, de pênalti, e Alencar, no 1º tempo, e Décio Viccari, novamente, no segundo, terminando o jogo com a vitória do Americano por 3 x 0. Foi árbitro dessa partida o zagueiro Jack Astbury, que pertencia ao São Paulo Athletic.

O último jogo dos uruguaios em São Paulo realizou-se no dia 15 de agosto. O combinado uruguaio empatou com uma Seleção Paulista em 2 x 2.

Formou a Seleção Paulista com: Hugo (Americano), Menezes (Americano) e Astbury (S.P.A.C.); Gullo (Paulistano), Aquino (Paulistano) e Bradshaw (S.P.A.C.); Guilherme (Germania), Roberts (S.P.A.C.), Décio Viccari (Americano), Facchini (Paulistano) e Banks (S.P.A.C.).

Quatorze minutos depois de iniciado o jogo, Facchini marcou o primeiro gol para os paulistas. Poucos minutos depois, Décio Viccari marcou o segundo gol paulista. Reiniciado o jogo, Menezes cometeu pênalti, que Antônio Marques converteu para os uruguaios. Ainda no primeiro tempo, Zumaran marcou o segundo gol para os uruguaios, empatando o jogo em 2 x 2, placar final. Octavio Bicudo foi o árbitro desse encontro.



A seguir, os orientais foram para o Rio de Janeiro, onde jogaram uma única partida contra o Fluminense, no dia 20 de agosto, nas Laranjeiras. Os uruguaios, após um bom jogo de parte dos cariocas, venceram por 3 x 2, regressando em seguida para o seu país.

Formou o Fluminense com Baena, Pídaro e Nery; Lawrence, Amarante e Gallo; Arnaldo, Borgerth, Orlando, Gustavo e James Calvert. O técnico foi Charles Williams. Os gols brasileiros foram marcados por Arnaldo e Orlando.



Fontes:

O Futebol em Pelotas 1901-1941

S. C. Rio Grande Centenário do Futebol Brasileiro

História Ilustrada do Grêmio

Charles William Miller 1894-1994

O Caminho da Bola 1902-1952

Supremacia e Decadência do Futebol Paulista

Colaboração: José Ricardo Caldas e Almeida

Nenhum comentário: